Brasil Independente?

Neste 7 de setembro o Brasil comemora 195 anos de independência, fato que representa o processo que culminou na emancipação política do território brasileiro do Reino de Portugal, no início do Século XIX.Depois de anos sendo explorado como colônia, o Brasil, finalmente, tornou-se “livre”. Sem dúvida alguma, o nosso país se tornou soberano, porém, não totalmente independente afinal, em um mundo globalizado, praticamente todas as nações dependem uma das outras para se desenvolver.

Embora muitos países possuam setores independentes, a economia é um aspecto que depende de relações externas. Identifica-se, no Brasil, tal dependência devido à alta demanda de produtos importados, principalmente os que exigem tecnologia aprimorada, como máquinas, eletrônicos e medicamentos. Embora alguns desses produtos já sejam produzidos no Brasil, ainda somos dependentes e importamos quase toda a tecnologia necessária de empresas do exterior.

Muitas dessas empresas buscam, no Brasil, os seus recursos naturais, os quais ainda são encontrados em abundância. Nesse aspecto, pode-se considerar o Brasil como um país quase que totalmente independente, ao contrário da Holanda, que chega a importar mais de 80% da água que consome. Além desse fator, o Brasil também é politicamente independente, afinal, ele possui a própria Constituição e não se submete a intervenções estrangeiras.

Portanto, para uma nação ser considerada totalmente independente, ela não deve apenas deixar de ser uma colônia, mas sim possuir total autonomia político, cultural e econômica.Cento e noventa e cinco anos depois do grito de independência, não somos independentes.

Estamos dependentes de um Estado gastador, de um Congresso cheio de vícios e da falta de um projeto de industrialização e desenvolvimento tecnológico.Não dá pra dizer que um país é independente quando o governo se banha em escândalos ininteligíveis ao cidadão brasileiro.

Portanto o que caracteriza um país  justo, moderno, independente e que oferece boa qualidade de vida à população são: uma agropecuária moderna e auto-sustentável, estrutura industrial completa, desenvolvimento científico e tecnológico avançado, modernos e eficientes meios de transporte e comunicação, pequeno número de analfabetismo, boas condições de moradia, alimentação, habitação e saneamento básico, baixa taxa de mortalidade infantil, uma eficiente rede de saúde pública, com hospitais bem equipados e com profissionais totalmente treinados e com capacidade de ajudar os pacientes, leis sérias e realmente punitivas, polícia integrada e que possa combater a violência e, para finalizar uma elevada expectativa de vida com qualidade.

O fato é que não decolamos, vivemos estagnados, somos ou do terceiro mundo ou emergentes, e a corrupção é a tônica, a desonestidade virou moda e a impunidade se tornou padrão, com governantes cuja peculiaridade é serem antiéticos por interesse e conveniência. As respostas prontas eu já conheço, quero explicações novas. É preciso que os brasileiros respondam.
Seremos eternamente o país do futuro? Não, eu quero um Brasil Independente!

Fabio Picarelli – Advogado e Conselheiro Estadual da OAB por Santo André