São Bernardo e Ribeirão Pires lideram o ranking de obras paradas no ABC, de acordo com o TCE

0

De acordo com o Painel de Obras Paralisadas do Tribunal de Contas do Estado de São Paulo, a região do ABC Paulista tem 22 obras paralisadas ou atrasadas. São Bernardo do Campo e Ribeirão Pires lideram a região na paralisação ou atraso de obras, com 6 sem conclusão na gestão de Orlando Morando (PSDB) e 5 da gestão de Kiko Teixeira (PSDB).

De acordo com o Painel, a única cidade do ABC a não conter obras paralisadas ou atrasadas é São Caetano do Sul.

São Bernardo do Campo- A cidade tem 1 obra parada e 5 paralisadas com o valor total de R$ 60 milhões.

  1. Construção de Centro de Educação Unificado – CEU Jardim Silvina.
  2. Elaboração de projeto executivo e execução de obras do “Projeto de infraestrututura viária na área de reassentamento Monte Sião
  3. Construção do CAPS Silvina
  4. Reforma do Centro Esportivo Vila São Pedro.
  5. Fornecimento e Instalação de um Laboratório de Análise de Ruídos e de Emissões Veiculares para a CETESB
  6. Implantação e estruturação completa, montagem e equipagem do Centro Permanente de Canoagem e Velocidade

Ribeirão Pires – Com um total de 5 obras atrasadas com valor total de R$ 6,1 milhões, a cidade figura em segundo lugar na região.

  1. Construção de Cobertura de quadra escolar pequena- Escola João Midola
  2. Construção de quadra escolar coberta com vestiário na escola Yoshihiko Narita
  3. Construção do centro de Iniciação ao Esporte- CIE
  4. Construção de UBS no Parque Aliança , objeto de Convênio com Ministério da Saúde
  5. Serviços complementares do Pav 2 e 3 do bloco 4 – Hospital Santa Luzia

Mauá– A cidade figura na terceira posição com um total de 4 obras, uma atrasada e 3 paralisadas. O valor total de R$ 53,7 milhões.

  1. PAC Contenção / Encostas – Contratação de Empresa para a Prestação de Serviços de Construção de Trecho da Avenida Marginal ao Tamanduateí / Corumbé / Staquim
  2. Execução das obras de urbanização e construção de unidades habitacionais no Jd. Oratório – PAC 1 – Fase II
  3. Execução de obra de contenção no setor de risco MA-25-06 Jardim Rosina
  4. Execução do sistema de drenagem da Avenida João Ramalho

Diadema– Com 3 obras, uma paralisada e duas atrasadas, a cidade está na mesma situação que Santo André. Valor total das obras: R$12 milhões.

  1. Urbanização e Construção de Unidades Habitacionais no Loteamento Iguassú.
  2. Construção da Central de Triagem Chico Mendes
  3. C.H. Diadema F – Serviços de recuperação de rede condominial de água e esgoto, recuperação de reservatório e renovação de AVCB.

Santo André– Na mesma condição de Diadema, Santo André está com 3 obras atrasadas, de acordo com o Painel. O valor total é de R$ 39,6 milhões.

  1. Prestação de serviços de urbanização no Jardim Irene
  2. Prestação de serviços de urbanização do núcleo Espirito Santo
  3. Prestação de serviços de urbanização do núcleo Jd Cristiane

Rio Grande da Serra- A cidade está com apenas uma obra em atraso, de acordo com o Painel, o valor total da obra é de R$ 39,6 milhões.

  1. Obras de tratamento preferencial para o Transporte Coletivo que incluem Pavimentação, Drenagem, Muros de arrimo, Sinalização viária no município de Rio Grande da Serra. PAC Mobilidade / PACTO pela Mobilidade

O Painel de Obras Paralisadas leva em conta o período do primeiro trimestres de 2020.