Opinião: “Taxa do Lixo” é reprovada em Ribeirão Pires

Por Professor Lico

A população de Ribeirão Pires começou a semana com uma boa notícia: Foi reprovado o Projeto de Lei Complementar do Executivo que implementava a cobrança da Taxa de Coleta, Remoção, Tratamento e Destinação do Lixo Domiciliar.
O projeto impopular, que acrescentaria mais uma taxa a vida do Ribeirãopirense foi reprovado por unanimidade em Sessão Extraordinária nessa Segunda Feira (04). Muitos atribuem esse resultado a forte pressão da população, que se mobilizou e utilizou as redes sociais para manifestar a sua indignação com a possível cobrança.
Na última semana, apenas três vereadores haviam manifestado seu voto contrário ao Projeto, o Vice Presidente da Câmara, Vereador Amigão D`Orto, o Segundo Secretário, Vereador Anselmo Martins e também o vereador José Nelson de Barros. Amigão e Anselmo fizeram até companha em suas redes socais, conclamando a população a se manifestar e pressionar os demais vereadores.
Durante a sessão de votação, o presidente da Casa de Leis, vereador Rubens Fernandes, utilizou a tribuna para dizer que foi eleito para atender os “anseios da população” e por isso votaria contra o projeto, fala que foi endossada pelo Vereador Rogério do Açougue. O

Vereador João Lessa alegou que essa taxada já é cobrada no IPTU e que não poderia votar a favor de uma cobrança dupla pelo mesmo serviço.
Amigão D`Orto confirmou a sua posição contrária ao projeto e justificou dizendo que “Enquanto bairros afastados como o Jardim Aprazível e SOMA não receberem o serviço de coleta de lixo, não acho justo que recebam um boleto de cobrança desse serviço”
A derrota do Executivo na Câmara Municipal instala um enfraquecimento nas relações, em especial aos vereadores que são base do Governo, e demonstra ainda mais a insatisfação da população de Ribeirão Pires com a atual gestão.
2018 começará com clima de alívio para os cidadãos da cidade…