Aciarp não informa valor de arrecadação com Zona Azul

0

É comum ver os motoristas de Ribeirão Pires  reclamando no escritório da ACIARP (Associação Comercial Industrial e Agrícola de Ribeirão Pires), quando são notificados pelos agentes de Zona Azul por vencimento de seus cartões de estacionamentos, afinal, a cobrança para regularização é de R$ 25,00. O valor é quase 70% mais caro que nas cidades vizinhas como Santo André e Mauá.

Sem aplicativo de compra online ou Parkimetro para compra do Ticket de estacionamento nas ruas, a Aciarp trabalha com vendas nos comércios conveniados e com os agentes de rua espalhados pelo centro. A administração da Zona Azul não é a única fonte de renda da Aciarp, há também a administração da Vila do Doce.

Questionamos a Prefeitura de Ribeirão Pires dia 22 de agosto sobre o valor de arrecadação da Aciarp com a administração da Zona Azul e Vila do Doce, porém, a entidade não respondeu à prefeitura, que por sua vez não pôde informar ao nosso site.

A informação de interesse público poderia ser obtida através da Lei de Acesso a Informação, no entanto, a negação da Aciarp de não informar o valor de arrecadação merece receber a suspeição da sociedade, que clama por transparência ma coisa pública.

Nosso site questiona publicamente a Aciarp:
1- Qual o valor arrecadado com a administração da Zona Azul e Vila do Doce?

2-Qual a contrapartida que a entidade oferece ao município?

3- Qual benfeitoria é feita para cidade através do dinheiro arrecadado?

Não é a primeira vez que a Aciarp se nega a responder as informações referente a Convênios. Em 2014 a entidade ficou responsável pela realização do Festival do Chocolate e na ocasião levou quase três meses para abrir a planilha de arrecadação da festa, já que foi a primeira vez que se cobrou ingresso para entrada. Por fim, a Aciarp alegou prejuízo e não pagou os 35% da arrecadação para as Entidades Sociais, conforme acordado com o então prefeito Saulo Benevides.