Com paralisação de caminhoneiros, Centro de Distribuição de Paranapiacaba faz sentido

1

Por Samuel Boss

A implantação do Pátio Ferroviário de Campo Grande,às margens da Ferrovia Santos-Jundiaí, no entorno  administrado pela MRS Logística, distrito de Paranapiacaba, gerou polêmica nos últimos meses junto a moradores e ambientalistas que protestaram contra a implantação do equipamento. Moradores protestam contra o desmatamento de uma área de 91 hectares.

Porém, além da visão ambiental – que segundo a empresa, Fazenda Campo Grande serão preservados 80% de uma área total de 468 hectares- a recente paralisação dos caminhoneiros reascendeu no país a discussão que aponta a total dependência do Brasil no escoamento de carga através do sistema rodoviário. Diante disso, o Centro de Distribuição de Paranapiacaba começa a fazer sentido para o desenvolvimento do estado de São Paulo e da região.

Segundo levantamentos realizados pela consultoria ambiental, o Estado de São Paulo conta com uma matriz de

transporte que inclui rodovias, ferrovias, a hidrovia do Tietê, o maior aeroporto (Guarulhos) e o porto com maior movimentação de cargas do País (Porto de Santos). No entanto, 93% das cargas são transportadas pelo modal rodoviário e 50% das viagens têm origem ou destino na Macrometrópole.

Após esta greve que afetou a todos brasileiros eu mudei minha visão sobre o projeto, já entendo que é preciso achar uma linha de consenso entre as preocupações dos ambientalistas e a necessidade do estado de ter outras opções no escoamento de cargas.

Talvez seja necessário por parte da empresa apresentar garantias sobre a preservação e a compensação ambiental, além, de um estudo que possa provar o quanto de poluentes tóxicos o projeto tirará do meio ambiente, visto que o sistema ferroviário polui menos. E por parte dos ambientalistas entender que sem um sistema de escoamento alternativo, nosso estado poderá parar novamente a qualquer crise de combustível.

A grande imprensa já discute a malha ferroviária no país, já coloca o tema como crucial para a campanha presidencial deste ano. Ontem o pré-candidato pelo PDT, Ciro Gomes foi questionado sobre a malha ferroviária no país no programa Roda Viva. A região do ABC poderá dar o primeiro passo num entendimento entre ambientalistas e desenvolvimentistas para sedear um centro de distribuição que poderá nos ajudar a depender menos do sistema modal rodoviarista.

Veja as matérias dos últimos dias sobre a malha ferroviária no Brasil

R7

https://noticias.r7.com/prisma/coluna-do-fraga/greve-expoe-abandono-da-malha-ferroviaria-brasileira-28052018

Rede Brasil Atual

http://www.redebrasilatual.com.br/economia/2018/05/a-historica-dependencia-do-brasil-do-modelo-rodoviario-de-transporte-de-cargas

O Globo

https://oglobo.globo.com/economia/entenda-como-brasil-ficou-dependente-dos-caminhoes-22721989

IstoÉ

https://istoe.com.br/crise-dos-caminhoneiros-expoe-dependencia-de-unico-meio-de-transporte/

Comments are closed.