Livro sobre Caso Nardoni traz nova versão do assassinato de Isabella

Noite de sábado, 29 de março de 2008. Uma menina de apenas cinco anos de idade é jogada do sexto andar do Edifício London, na Vila Guilherme, em São Paulo. Diante do mistério de quem teria cometido tamanha atrocidade arremessado a criança do local, o caso não só virou notícia nas páginas do jornalismo policial, como também ganhou repercussão nacional.

O assassinato de Isabella de Oliveira Nardoni foi um dos casos que mais gerou comoção nacional e debates entre cidadãos comuns. Em menos de uma semana do crime cometido, Alexandre Nardoni, pai de Isabella, e Anna Carolina Jatobá, madrasta, se tornaram os suspeitos do crime. Durante o julgamento, ambos foram condenados.

Em O Pior dos Crimes, o jornalista Rogério Pagman, repórter que, na época, cobriu o caso para a Folha de S. Paulo, reuniu informações jamais divulgadas pelos meios de comunicação hegemônicos até então. A leitura do livro-reportagem propõe ao leitor que ele, a partir da obra, analise se o Caso Nardoni representa ou não um erro judicial, já que o livro traz depoimentos de diversas pessoas envolvidas no caso, como advogados, promotores e peritos, além de conter citações de documentos oficiais. Além disso, a obra é completa e conta as histórias de vida dos suspeitos do crime.

O livro é contado em ritmo de thriller e tem um começo que incita o leitor a continuar a ler. Ao longo da sua continuação, o leitor continua preso à leitura, principalmente por conta do tamanho dos capítulos e do desfecho de cada um deles. Ademais, o fato de que o leitor tem a escolha de acreditar ou não na versão divulgada pela polícia e que se tornou uma verdade absoluta propagada pelos grandes meios de comunicação na época faz com que ele queira chegar ao final do livro tendo uma opinião própria sobre o caso.

Nota: ⭐⭐⭐⭐⭐

336 páginas

Editora Record

Ano: 2018