Morando impõe esposa candidata, mas diz que foi “conclamação”

0

Morando fez suspense até o último momento para anunciar a mulher

O prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando (PSDB), fez suspense para anunciar o óbvio, a pré-candidatura de sua esposa, Carla Morando (PSDB). Em seu discurso, o tucano falou sobre uma conclamação dos políticos da cidade e do partido, no entanto, todos nos bastidores sabiam que a escolha de Carla foi uma imposição pessoal de Morando.

Política não pode ser instrumento de vaidade, eu quero que minha mulher seja candidata, foi um desejo de muitos”disse.

Morando fez questão de frisar os pedidos do prefeito de São Paulo, Bruno Covas e do ex-governador de São Paulo, Geraldo Alckmin.

“Bruno me pediu para Carla sair candidata… E em seguida o Alckmin também pediu, e uma coisa inédita, os vereadores do partido todos pediram”, se vangloriou.

Estava presente no evento o prefeito da capital, Bruno Covas, a primeira dama de Santo André e Ribeirão Pires, Ana Carolina Barreto Serra e Flávia Dotto; além do vice-prefeito, Marcelo Lima (PSD) e o coordenador do PSDB do ABC, Márcio Canuto e vereadores de São Bernardo.

Apesar do discurso do entendimento e conclamação, nos bastidores Orlando trabalhou intensamente para que alguns nomes a estadual no ABC, desistissem de suas candidaturas em prol do projeto de sua esposa, caso de Marcelo Chehade em Santo André, Pery Cartola em São Bernardo e Fabio Palacio (PSD) em São Caetano que teve que mudar o cargo pretendido para agradar Morando.

Carla em seu discurso disse que decidiu a candidatura um dia antes, mesmo com todo material gráfico disponibilizado no loca do evento.

“Não é charme, eu não estava decidida até ontem (25), quando vocês (vereadores) me pediram. Eu não queria ser candidata nem política”, explicou Carla.

Na região do grande ABC, apenas Carla Morando e o vereador de Santo André, professor Minhoca serão candidatos a deputado estadual pelo PSDB.