Arte de Yasuichi Kojima virá patrimônio imaterial da cidade de Mauá

0

O artista consagrado, Yasuochi Kojima, 86 anos, teve sua obra chancelada como Patrimônio Imaterial da cidade de Mauá, ABC Paulista. Nesta terça-feira (22), o prefeito Atila Jacomussi (PSB), visitou o acervo de Kojima, onde divulgou a contemplação do artista com seu mérito.


“Mauá é uma cidade rica e plural pela sua gente, com origem em várias partes do país e do mundo. Um dos nossos maiores orgulhos nasceu no Japão e hoje é um símbolo de nossa cidade: Yasuichi Kojima, dono da Porcelana Kojima, uma herança do seu querido pai Juho Kojima. Então tive a maior felicidade de assinar o decreto que classifica como Patrimônio Imaterial da Cidade, assinado no último dia 10 de dezembro, o processo do senhor Kojima de fazer essa linda arte. Por isso que recebi um convite dele para visitar a Porcelana, onde recebi, além do carinho, um livro e um catálogo de uma exposição em São Paulo, além da oportunidade de pintar um prato ao seu lado. O senhor Kojima ainda me disse algo que me emocionou: eu sou o segundo prefeito a visitá-lo, ao lado da minha amiga Simone Bello Gimenez, presidente do Conselho de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arqueológico e Turístico de Mauá. Antes de mim, apenas o ex-prefeito Élio Bernardi teve o mesmo gesto em 1960. Passados 60 anos, tenho orgulho de mostrar todo o meu respeito ao senhor Kojima, um patrimônio de Mauá!”, disse Atila e suas redes sociais.

Sobre o artista:

Yasuichi Kojima, pseudônimo artístico Kojima, nascido no Japão em 24 de fevereiro de 1934, formado na Escola de Cerâmica Industrial de Tajimi-Gifu no Japão.

Em 1953 imigrou para o Brasil como técnica de cerâmica, trabalhou 5 anos em São Caetano, após transferiu-se para Mauá. Montou sua própria fábrica de porcelana que funciona até hoje. A seguir naturalizou-se brasileiro e estudou pintura com os artistas Manabu Mabe, Takaoka e Nakajima.

Participou das seguintes exposições: 10º Salão de Arte de São Bernardo do Campo (1967); 1º Salão de Arte Contemporânea de Santo André; 2º Salão de Arte Contemporânea de São Caetano do Sul; XVII Salão Paulista de Arte Moderna (1968); Salão Seibi de São Paulo (1969); Salão de Arte de Mauá, sendo Selecionado Mapa Cultural (2001); Salão da cidade de Mauá; 2º Salão de figurativo de Bunkyo de São Paulo (2002); 3º Salão de figurativo de Bunkyo de São Paulo (2003); Salão de Evento do Consulado Geral do Japão em São Paulo (2005); BITEM de Sociedade Brasileira de Cultura Japonesa São Paulo (2006); 20º Salão de Arte Associação Comercial de São Paulo Distrito Pinheiros; Salão de evento do Consulado Geral do Japão em São Paulo; Grande Salão de Arte Bunkyo São Paulo (2007); Exposição coletiva no Teatro Municipal de Mauá; Exposição Coletivo no Shopping de Mogi das Cruzes; Casa Grande de Suzano Comemoração de 100 anos de Imigração Japonesa no Brasil; Grande Exposição de Arte Bunkyo de São Paulo; 21º Salão de Arte de Associação Comercial de São Paulo Distrito Pinheiros (2008); Grande Exposição de Arte Bunkyo de São Paulo; Exposição individual no Museu Barão de Mauá; Exposição Primavera de Prefeitura Municipal de Poá; Exposição Figura e Primavera da Associação Paulista de Belas Artes de São Paulo; Salão de Arte de Poá como convidado (2009); 2º Exposição Nikkei Centro Cultural de Embu; Salão de Arte Visual de Vinhedo; Primavera Estação das Flores Prefeitura de Poá; Exposição Coletivo no Consulado Geral do Japão em São Paulo (2010); 28º Salão Nacional de Artes Plásticas de Embu das Artes = Premio Prata (2012); exposição individual no Museu de Arte do Parlamento de São Paulo (2013).