PM adquire 40 mil pistolas semiautomáticas para reforçar a segurança no Estado de São Paulo

Valor que será pago, estipulado em processo licitatório, irá gerar uma economia de R$ 53 mi aos cofres públicos

A Polícia Militar irá adquirir 40 mil pistolas semiautomáticas para melhor ainda mais as condições de enfrentamento ao crime no Estado de São Paulo. A aquisição, realizada por meio de processo licitatório, prevê o pagamento de R$ 891,66 à austríaca Glock pelo fornecimento de cada pistola calibre.40. Após 28 rodadas de lance no pregão, o valor estipulado pelo licitante irá representar uma economia de R$ 53 milhões aos cofres públicos. 


De acordo com o tenente coronel Marco Aurélio Valério, do Centro de Material Bélico da Polícia Militar, a previsão inicial é de que a aquisição gerasse custos mais elevados. “Nossa expectativa era pagar até R$ 2 mil por cada unidade. Com o preço definido em R$ 891,66 iremos economizar R$ 53 milhões. Essa competição dos processos licitatórios é extremamente saudável e os resultados demonstram isso de forma inequívoca. A disputa para fornecer armamentos para a Polícia Militar envolveu dois dos fabricantes mais conceituados do mercado de pistolas”, afirma em referência às marcas Glock (Áustria) e Beretta (Itália), finalistas do processo de licitação. 


Essas propostas foram apresentadas em sessão pública realizada ontem (21) e agora a empresa austríaca terá 10 dias para apresentar amostras que serão submetidas a testes de qualificação. Os participantes e interessados serão informados, por meio de publicação em Diário Oficial, da data do início dos testes.


O processo licitatório prevê que, após a assinatura do contrato, a empresa fabricante entregue 8.000 unidades em até 90 dias. O acordo estipula que a totalidade das pistolas adquiridas seja fornecida em até oito meses após a homologação do acordo.


Programa de modernização
As aquisições fazem parte de um programa de modernização estruturado pelo Governo Do Estado de São Paulo, Secretaria da Segurança Pública e Polícia Militar que prevê a realização de 11 licitações internacionais para compra de armamentos com tecnologia de ponta para a PM.


Para o próximo mês de setembro está prevista a abertura de outros três processos licitatórios que serão responsáveis pela aquisição de 300 fuzis calibre .556; 1.000 fuzis calibre .762 e 1.000 armas de incapacitação neuro-muscular. “Esta política de segurança objetiva que a Polícia Militar do Estado de São Paulo seja uma referência internacional tanto na adoção de boas práticas quanto na qualidade de seus equipamentos”, finaliza o tenente coronel Marco Aurélio Valério