Para presidente da APEOESP, falta de merenda em Santo André mostra descompromisso do governador com a Educação

Alunos de 13 escolas da rede pública estadual na cidade de Santo André, na região do ABC, estão sem merenda. Isso porque acabou o contrato com a empresa que prestava o serviço.

Enquanto isso, pais reclamam que os estudantes passam até 5 horas dentro da escola sem uma alimentação adequada. Está sendo servida a chamada merenda seca, composta, basicamente, por biscoito industrializado.

Para a presidente da APEOESP (Sindicato dos Professores do Ensino Oficial do Estado de SP) e deputada estadual, Professora Bebel, essa situação mostra um governador insensível e descomprometido com necessidades básicas dos alunos das escolas públicas. “Maldade sem fim com crianças que têm na escola o espaço onde melhor se alimentam durante a semana. Isso enquanto o governador não substituir a comida dos alunos por farinata”, afirma Bebel.

A deputada é autora do Projeto de Lei 891/2019, que propõe o Programa Estadual de Alimentação Escolar, com o objetivo de ampliar a participação da agricultura familiar, dos produtos de transição agroecológica e dos orgânicos na constituição da merenda no cotidiano das escolas da rede pública paulista.