Seguranças do Metrô de SP são flagrados agredindo jovem negro na estação Tamanduateí

Seguranças do Metrô de São Paulo foram flagrados agredindo um jovem negro de 15 anos, no último domingo (8), fato aconteceu na estação Tamanduateí, Linha 2-Verde. Nas imagens, obtidas pelo portal Ponte, é possível observar a ação truculenta dos agentes, que seguram o garoto com força, torcem o braço dele e dão um mata-leão, antes de jogá-lo ao chão. Ele pede socorro e parece ter dificuldades para respirar.

Testemunhas apontam que os seguranças estavam afirmando que o adolescente havia cometido um furto no trem. Nas imagens, é possível escutar as pessoas falando que o garoto estaria com uma “seda” em referência ao uso de maconha e que isso também teria contribuído para a violência.

A abordagem durou cerca de quatro minutos, e devido a multidão em volta, os guardas optaram por levar o jovem até uma sala.

Ariel de Castro Alves, advogado e conselheiro do Condepe (Conselho Estadual de Defesa dos Direitos da Pessoa Humana), confirma a informação de testemunhas. “O delegado me mostrou na delegacia o que foi apreendido: uns panfletos pedindo dinheiro para ajudar a família. Os abusos praticados por seguranças do Metrô de São Paulo são comuns e cotidianos. Eles recebem ordens para expulsarem os pedintes e vendedores ambulantes”, disse Ariel.

Em nota, o Metrô informou que “a equipe de segurança do Metrô foi alertada por uma passageira sobre um menor com atitude suspeita. Ao ser abordado, constatou-se que o mesmo estava portando drogas ilícitas. O menor reagiu e os agentes precisaram contê-lo. Uma PM, que desembarcava no local, tomou conhecimento do fato e prestou auxílio aos agentes de segurança”.

Ariel critica a nota do Metrô pela falta de provas. “Nenhuma vítima foi apresentada ou identificada pelos seguranças”, destaca.