Grêmio Mauaense devolve área do clube para o Município

Marco Antonio Quinho Capuano (ao centro) define entrega do espaço social do clube como grande conquista para a população. Futebol profissional será o grande beneficiado. Foto: Daniel Alcarria.

A Diretoria do Grêmio Mauaense, através de seu presidente Marco Antonio Capuano, o “Quinho”, acertou junto à prefeitura de Mauá a devolução do espaço outrora ocupado pelo clube como sua sede social para a municipalidade.

Segundo Capuano, o espaço de cerca de 17 mil m² será utilizado pela prefeitura para a construção de  uma Fábrica Integrada Educacional e Cultural (FIEC). “O espaço agora poderá ser utilizado por toda população e o Grêmio, ciente de sua função social, retribui ao povo de Mauá aquilo que recebera em 1986”, discorre o presidente. O local onde foi construído o poliesportivo do Grêmio era uma área pública que abrigava o Centro Comunitário do Parque São Vicente. A lei municipal 2049, de 02 de abril de 1986 legalizou a concessão do espaço ao clube por um prazo de cinqüenta anos.

Ainda segundo Quinho, a realidade é que o clube social tem causado ao Grêmio grande dispêndio, uma vez que mais de 95% dos sócios são inadimplentes e que sua arrecadação não cobre sequer os custos mínimos para sua manutenção. “Com a devolução do espaço, o clube poderá voltar suas atenções exclusivamente ao futebol, vocação que acompanha o Grêmio Esportivo Mauaense desde sua fundação”. 

Sobre as poucas vozes dissonantes, o presidente lembra que à época da entrega do espaço ao clube também houve polêmica com moradores do bairro, que alegavam estarem perdendo um espaço público, de uso comum. Ocorreu que, como o equipamento estava praticamente abandonado e destruído, a ocupação por parte do Grêmio acabou sendo aceita. “Passados trinta e quatro anos, o clube entrega à população um espaço com piscinas, quadras esportivas, salões e uma estrutura que servirá para projetos sociais voltados à população de toda cidade”, encerrou Marco Antonio Capuano.