Para defensor dos direitos humanos investigação sobre Paraisópolis é parcial

Para o advogado defensor do direitos da pessoa humana, Ariel de Castro Alves, a investigação do massacre que ocorreu neste domingo (01) na comunidade de Paraisópolis, é parcial.

A crítica veio de forma irônica nas suas redes sociais.

“Doria anunciou uma “investigação rigorosa” da ação da PM que resultou em 9 mortes de jovens na comunidade de Paraisópolis. A investigação será tão rigorosa que o delegado do caso já até se antecipou, concluindo que foi fatalidade e não houve excesso dos policiais. Da mesma forma, foi designado hoje para representar a PM numa coletiva de imprensa um notório defensor da violência policial e instigador de ataques contra jornalistas e defensores de direitos humanos nas redes sociais. Podemos ver que as apurações começaram de forma isenta e imparcial.” Disse Ariel.