Governadores do Sul e Sudeste assinam carta de apoio à reforma da Previdência

Coletiva de imprensa com governadores (sala de Imprensa). Local: São Paulo/SP. Data: 27/04/2019. Foto: Governo do Estado de São Paulo

Recepcionados por João Doria, líderes de Executivos estaduais também pedem renegociação de dívidas com a União e reforma tributária em âmbito nacional

Governadores e Vices de sete Estados assinaram neste sábado (27), no Palácio dos Bandeirantes, uma carta aberta em apoio à reforma da Previdência que tramita no Congressso Nacional (íntegra da carta https://bit.ly/2V201su). O ato coletivo marcou a segunda reunião de trabalho do Cosud (Consórcio de Integração Sul e Sudeste).

Líder do Executivo paulista, João Doria recebeu seus pares estaduais e o grupo ainda propôs uma renegociação ampla das dívidas dos Estados com a União e o início imediato de debates para uma reforma tributária em âmbito nacional.

Completaram a reunião os Governadores Romeu Zema (MG), Renato Casagrande (ES), Carlos Moisés (SC) e Eduardo Leite (RS). Ausentes devido a compromissos previamente agendados, Wilson Witzel (RJ) e Ratinho Júnior (PR) foram representados por seus vices, Cláudio Castro e Darci Piana, respectivamente.

“Todos os sete governadores do Sul e Sudeste já reafirmaram o apoio à reforma da Previdência. Cada Estado tem sua particularidade, suas características e, principalmente, suas necessidades. Não obstante, manifestamos clara e objetivamente o apoio à reforma da Previdência compreendendo que ela muda o país. Ela estabelece uma condição fiscal melhor para Estados e municípios e confere, sobretudo, a oportunidade de novos investimentos que vão se traduzir em mais empregos e desenvolvimento”, afirmou Doria durante entrevista coletiva ao lado de seus colegas do Cosud.

Embora o Governo Federal já tenha sinalizado a apresentação de um novo projeto de pacto federativo, os líderes estaduais querem um compromisso mais sólido sobre a renegociação de débitos com a União e a possibilidade de securitização da dívida ativa dos Estados.

Os Governadores também pedem que o Palácio do Planalto dê andamento a uma ampla reforma tributária que facilite novos investimentos nacionais e estrangeiros por todo o país.