Doria extingue cargo de carcereiro em agente policial e 2 mil profissionais são incorporados na Polícia Civil

O governador do Estado de São Paulo, João Doria, participa de coletiva de imprensa, acompanhado dos secretários de estado, entre eles: secretário de Segurança Pública, general João Camilo Pires de Campos, secretário de Governo, Rodrigo Garcia, secretário da Fazenda, Planejamento e Gestão, Henrique Meirelles e secretário de Educação, Rossieli Soares. Local: São Paulo/SP Data: 02/01/2019 Foto: Governo do Estado de São Paulo


A lei promulgada pelo governador Doria atualiza a situação do extinto cargo de carcereiro

O Governador João Doria promulga projeto de lei que transforma o extinto cargo de carcereiro em agente policial. A lei beneficia 2.189 profissionais que serão incorporados aos trabalhos da Polícia Civil.

Com o fim das cadeias públicas em São Paulo, mantendo apenas 112 unidades no Estado para presos administrativos e provisórios, as funções ocupadas pelo antigo carcereiro foram atualizadas e as atribuições ampliadas, atendendo a uma antiga reivindicação da categoria e da própria polícia. São servidores atuantes e conhecedores da área de segurança pública e que irão desempenhar novas funções.

O salário inicial é de R$ 2.905,34 (não incluída a insalubridade no valor de R$ 712,52) continua o mesmo de quando atuavam como carcereiros, portanto não há impacto no orçamento.