50% de eficácia? Governo de SP adia novamente divulgação de dados completos da CoronaVac

0

O governo de São Paulo e o Instituto Butantan anunciaram nesta quarta-feira (23), que a vacina CoronaVac, produzida em parceria com o laboratório SinoVac, apresentou segurança e eficácia suficientes para pedir registro de uso emergencial. A porcentagem dessa eficácia, porém, não foi divulgada a pedido do laboratório chinês. A Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) só deve receber os dados em até 15 dias, quando analisará as informações e decidirá se aprova o uso do imunizante em território nacional.

Dimas Covas, diretor do Instituto Butantan, afirmou que o atraso na divulgação dos resultados da fase 3 de testes não interferirá no prazo de aprovação da vacina. O objetivo, disse, é que os dados sejam comparados a resultados de pesquisas em outros países, evitando que o imunizante tenha diferentes índices de eficácia anunciados.

Apesar de não divulgar os números, o secretário estadual de Saúde, Jean Gorinchteyn, disse que a vacina atingiu “a superioridade de eficácia” exigidos “tanto pela Anvisa quanto pela OMS”.

Questionado se a ausência de dados reflete decepção nos resultados, Gorinchteyn negou, mas disse que o objetivo sempre foi que a eficácia superasse 50%.