43 jovens da Fundação CASA na capital prestam Enem PPL

0

Exame para privados de liberdade acontece nos dias 23 e 24 de fevereiro; no Estado são 160 inscritos 

Um grupo de 43 adolescentes que cumprem ou cumpriram medida socioeducativa de internação em 17 centros da Fundação CASA na cidade de São Paulo estão inscritos para prestar o Exame Nacional do Ensino Médio para Pessoas Privadas de Liberdade (Enem PPL). As provas acontecem nos dias 23 e 24 de fevereiro, quando também haverá reaplicação da prova para os candidatos do Exame geral que não compareceram em janeiro e solicitaram nova realização. 

Os jovens são parte dos 160 adolescentes, de 68 centros socioeducativos da Instituição, inscritos em todo o Estado de São Paulo. O Enem PPL é aplicado para adultos do sistema prisional e para adolescentes em medida socioeducativa de privação de liberdade (internação). 

Dar continuidade aos estudos no Ensino Superior é o desejo que une, em geral, esses adolescentes, como Hugo e Olívia (nomes fictícios), que estão internados, respectivamente, nos CASAs Nova Vida e Ruth Pìstori, na capital. 

Para Hugo, de 18 anos, internado há pouco mais de um ano no centro socioeducativo do Complexo da Vila Maria, o Exame será meio para tentar ingressar na graduação em Educação Física. Ele segue a orientação de seu tio, que vê na educação um meio para melhorar a condição social e ter melhor formação para o mercado de trabalho. 

Já para a jovem Olívia, de 17 anos, internada há cinco meses no CASA Ruth Pistori, acessar uma formação mais ampla em Administração ou Secretariado são meios para trilhar uma carreira profissional.  

Os estudantes que prestam o Enem PPL também podem utilizar a pontuação para concorrer a vagas pelo Sistema de Seleção Unificada (Sisu) e Programa Universidade para Todos (ProUni). 

“O Enem é um exame que possibilita ao jovem que cometeu ato infracional ampliar suas escolhas futuras, dar continuidade à sua formação acadêmica e estar ainda mais preparado para a inserção no mercado de trabalho”, afirma o secretário da Justiça e Cidadania e presidente da Fundação CASA, Fernando José da Costa. 

Como é 

Na Fundação CASA, as provas ocorrem dentro dos centros socioeducativos. Os adolescentes já desinternados podem retornar ao local onde foram inscritos para realizar os testes.  

As provas serão aplicadas por profissionais contratados pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep), órgão do Ministério da Educação (MEC) responsável pelo Exame. 

No primeiro dia (23), os adolescentes responderão a 90 questões de Linguagens e Códigos e Ciências Humanas, além de escrever a redação. No segundo (24), serão 90 questões de Ciências da Natureza e Matemática.  

Todas as medidas sanitárias e de proteção contra a Covid-19 serão tomadas, como a higienização das salas antes da aplicação das provas, a manutenção do distanciamento entre os adolescentes participantes, uso de álcool em gel e máscara de proteção facial.  

Educação na CASA 

Na Fundação CASA, a educação escolar é realizada em conjunto com a Secretaria de Estado da Educação, seguindo conteúdo programático, calendário e material didático da rede pública estadual. A preparação para o Enem PPL ocorre principalmente no período da aula, embora a equipe pedagógica de cada centro socioeducativo tenha autonomia para aplicar atividades de preparação extra, com auxílio de pedagogos ou agentes educacionais da própria Fundação.