spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

top 5 da semana

spot_img

posts relacionados

Cine Olido exibe O Labirinto da Solidão


Filme independente é inspirado no livro homônimo de Octavio Paz e traz uma reflexão sobre identidade e loucura; Première ocorre no dia 27/05, às 19h30

No dia 27 de maio, às 19h30, o Cine Olido (Centro Cultural Olido, Av. São João, 473) exibe a première do filme O Labirinto da Solidão, inspirado na obra homônima de Octavio Paz. O filme é escrito e dirigido por Raquel Freire, jornalista que cresceu na periferia de SP e que encontrou no cinema um meio para expressar seus pensamentos e observações.

O Labirinto da Solidão foi produzido pela Somaê Filmes, de maneira totalmente independente e colaborativa, sem recursos de editais ou patrocínio. É um média metragem de guerrilha, no qual a vontade de fazer cinema, somada ao esforço e “mão na massa” traz como resultado um filme que promove uma reflexão sobre identidade, escolhas de vida e loucura.

O filme é dirigido por Raquel Freire, que já demonstra sua afinidade com temas que colocam a mulher em foco e com questões sociais contemporâneas. Entre seus trabalhos, vale destacar o documentário “Girls On Fire: Do Jogo Para a Vida” e os curtas metragens “Match” – que acumula quase trinta seleções em festivais pelo mundo, e o recém lançado “Mood”, que aborda o uso demasiado das redes sociais e a interferência no humor e na produtividade. Além dela, o elenco é predominantemente feminino. 

O filme mostra, ainda, que é o cinema independente (uma vertente do cinema brasileiro) resiste à falta de recursos e investimentos e mostra que é possível produzir a partir do trabalho em equipe e da paixão pela sétima arte.

Sinopse do filme: O Labirinto da Solidão conta a história de Isabel, uma mulher que tinha tudo o que sempre quis e, de repente, se vê com a vida vazia. Tudo o que acreditava perdeu o sentido. O filme é sobre identidade, escolhas de vida e loucura.

Trailer:

Ficha técnica:

Direção e Roteiro: Raquel Freire

Direção de fotografia e assistente de direção: Adriano Gomez

Produção Executiva: Joseph Merencio e Jordania Miranda

Montagem: Raquel Freire e Adriano Gomez

Direção de Arte: Raquel Freire 

Cinegrafista: Bino Reises

Produção: Somaê Filmes

Elenco:

Luciane Massaro, Rodrigo Sanavio, Manuela Prado, Juliana Werneck de Abreu, Jordania Miranda, Lena Mota, Aline Bimbatti e Margot Varella. 

Sobre a Somaê Filmes

A Somaê Filmes é um coletivo que tem como propósito impactar e inspirar pessoas a partir da sétima arte. É formado por profissionais de áreas distintas que produzem filmes independentes. Os trabalhos do grupo começaram em 2016 e já somam mais de 30 curtas metragens e dois médias, que são exibidos no circuito cultural, festivais e mostras de cinema. Os filmes já percorreram mais de 130 festivais no Brasil e exterior e levaram quase 10 prêmios nacionais.


Os trabalhos são realizados em conjunto, sem verbas públicas (editais ou leis de incentivo), nem patrocínios, apenas com a colaboração de profissionais parceiros (atores, figurinistas, produtores) que se identificam com o objetivo do coletivo e doam seu tempo e talento para que os filmes aconteçam. O que move esses profissionais é a paixão pelo cinema e a esperança na arte como meio de transformação.

Mais informações: somaefilmes@gmail.com | Instagram: @somaefilmes | https://www.facebook.com/somaefilmes/

Samuel Boss
Samuel Boss
Iniciou sua carreira na criação do Blog do Vereador que se transformou no jornal de sátira política, Quarta Ordinária. Escreveu para os jornais Estação Notícia, Repórter Diário e Opinião Pública. Foi editor do Jornal A Voz de Ribeirão Pires e criador da TV São Caetano. Teve programas na TV+, EcoTV, TVABCD, Repórter Diário e Rádio ABC.

Popular Articles