Frustrado por não ser o escolhido, Dallagnol defende lista tríplice

Não é segredo para ninguém que o procurador federal, Deltan Dallagnol, chefe da Operação Lava Jato de Curitiba, trabalhava para ser escolhido por Bolsonaro para ocupar ocupar o cargo de Procurador Geral da República.

O jornalista Keneddy Alencar chegou a noticiar que Sergio Moro fez campanha e pedido para Bolsonaro escolher Deltan, porém o presidente rejeitou o pedido.

Pelo Twitter, Dallagnol se manifestou defendendo a lista tríplice e segundo ele a lista dá “independência do Ministério Público”.

O presidente Jair Bolsonaro escolheu nesta quinta-feira (5) o nome do subprocurador Augusto Aras para o cargo de procurador-geral da República (PGR).