Decisão de Doria é para salvar mandato de Bruno Covas sacrificando os demais prefeitos

Por Samuel Boss

A decisão do governador João Doria (PSDB) de flexibilizar a quarentena para o comércio e shoppings centers na capital – e privando a Grande São Paulo e o ABC paulista- em nada tem a ver com ciência, vida e protocolo de saúde. Essa decisão é política eleitoral, visando salvar o seu ‘ex-número dois’ da Prefeitura e atual prefeito da capital, Bruno Covas (PSDB).

Duramente criticado nas redes sociais, e com protestos periódicos pedindo o impeachment de ambos, Doria resolveu salvar Bruno Covas sacrificando os prefeitos da região do ABC e Grande São Paulo.

Doria não ouviu especialistas de saúde. Doria viu pesquisa eleitoral e constatou que tanto a sua imagem, quanto a do seu parceiro política estavam indo pelo ralo, em decorrência das exigências dos setores econômicos.

O governador pela primeira vez não citou os números de mortes; de casos do novo coronavírus; não fez cara de tristeza; não falou em ‘vida em primeiro lugar’, João Doria criou um roteiro que deu a sensação que a vacina contra o covid-19 tinha sido descoberta. Vida normal! Só na capital!

Paulo Serra, Auricchio, Orlando Morando, ambos do PSDB ( e fortes aliados na campanha de Doria em 2018), foram simplesmente ignorados pela decisão do governador.

As reivindicações dos comerciantes e empresários locais, levados constantemente pelos prefeitos, serviram de inspiração para o tucano ajudar Bruno Covas obter uma chance na disputa eleitoral deste ano.

Bruno Covas, desde que assumiu o governo de João Doria, sempre teve sua gestão mal avaliada. No entanto, nos primeiros dias do enfrentamento a pandemia, sua postura -um homem lutando num tratamento de câncer, tomando decisões difíceis- agradou os paulistanos. Isso é comprovado em pesquisas feitas durante este período.

Porém, Bruno Covas foi se perdendo ao longo do caminho. Bloqueio em ruas da capital, rodízio endurecido, lotação nos transportes públicos e a total falta de harmonia entre os seus secretários e os de Doria, levaram sua imagem de novo ao limbo.

Hoje Doria fez um gesto: a reeleição de Bruno vale mais do que qualquer protocolo de saúde; recomendação da OMS ou visão da ciência. Hoje Doria escolheu matar os seus aliados do ABC, para dar sobrevida ao projeto político da capital.

Enquanto isso, moradores da capital, vizinhos a região como : São Mateus, Heliópolis, Zona Sul continuarão utilizando os equipamentos de Saúde do ABC, em contra partida os moradores daqui, terão o prazer de consumir em shoppings de São Paulo, gerando receita para a capital