O povo aplaude juízes enquanto suas ações caducam no judiciário

0

POR SAMUEL BOSS

O judiciário precisa ser reformado urgentemente. Sim, eu acredito que o judiciário é o único poder no Brasil livre de qualquer regulação popular que exista. Um cidadão não pode protestar contra um magistrado ou contra sua decisão que poderá ter “voz de prisão” como reação.

Aqueles que já tiveram a honra de sentar-se de frente a um juiz por uma causa qualquer, sabe bem que ali não existe democracia, e sim, uma ditadura. Por isso defendo eleições para juízes, desembargadores e ministros! Afinal o povo pode trocar seus governantes, caso estes não correspondam com a expectativa popular, mas o povo não pode escolher seus juízes, quem escolhe é o concurso público.

Então vem aquele discurso: “Ele estudou tanto para isso, ele merece”. É verdade, ele merece, no entanto, e se ele cometer um crime ou se ele tomar decisão esdruxula – como o caso do Habeas Corpus do Lula- quem é que vai agir? O CNJ, O Conselho Nacional de Justiça, que é composto por magistrados concursados sem nenhum controle social. Aliás, eu mesmo escrevi que desde o início da Lava Jato, 31 juízes que cometeram algum tipo desvio de conduta ou crime, foram punidos com a aposentadoria compulsória, que significa que eles são afastados de suas funções mas continuam recebendo seus salários integrais e todos os benefícios do judiciário.

No caso do imbróglio do Habeas Corpus do Lula, está errado tanto o desembargador petista quanto o Moro, o Gebrant, quanto o presidente do TRF4, Thompson Flores . Uma guerra de quem é mais “deus” , de quem tem a caneta mais pesada; uma decisão de quem manda mais no Brasil.

Eu sou uma vítima desse judiciário hipócrita, cheio de privilégios que trabalha de domingo e durante as férias apenas para decidir sobre os poderosos, mas arquiva e protela os processos quando é para decidir sobre o cidadão comum.

E o povo ainda brinca de torcida organizada #timemouro #timelula enquanto seu processo trabalhista, cível ou penal está há quase 20 anos rolando.

Os magistrados no Brasil n]ao precisam dar explicações. Nenhum dos envolvidos, veio a público pedir desculpas ou tentar explicar a grande “caca” que foi feita ontem. Simplesmente, os magistrados tiraram suas canetas do bolso, assinaram a decisão e a imprensa que se vire apara interpretá-la; o povo que tente achar heróis e bandidos; e o judiciário que continue bancando estes figurões.

Se vivemos numa democracia, que ela seja plena. Que esteja no legislativo, judiciário e executivo, no mais, precisamos apenas de mais ética na demagogia!