Twitter faz alerta de Fake News em post do Ministério da Saúde

0

O perfil oficial do Ministério da Saúde no Twitter foi advertido pela administração da rede social. O motivo foi uma postagem, publicada de quinta-feira (12/01), em que a comunicação oficial da pasta incentiva a população a fazer “tratamento precoce” contra a COVID-19, que a rede social sinalizou como conteúdo enganoso.

“Para combater a Covid-19, a orientação é não esperar. Quanto mais cedo começar o tratamento, maiores as chances de recuperação. Então, fique atento! Ao apresentar sintomas da Covid-19, #NãoEspere, procure uma Unidade de Saúde e solicite o tratamento precoce”, escreveu o Ministério, que teve a publicação marcada pelo TwPara combater a Covid-19, a orientação é não esperar. Quanto mais cedo começar o tratamento, maiores as chances de recuperação. Então, fique atento! Ao apresentar sintomas da Covid-19, #NãoEspere, procure uma Unidade de Saúde e solicite o tratamento precoce”, escreveu o Ministério, que teve a publicação marcada pelo Twitter.

A administração do site justificou: “Este Tweet violou as Regras do Twitter sobre a publicação de informações enganosas e potencialmente prejudiciais relacionadas à COVID-19. No entanto, o Twitter determinou que pode ser do interesse público que esse Tweet continue acessível”.

O chamado “tratamento precoce”, defendido pelo governo federal é baseado na utilização de medicamentos como cloroquina e ivermectina, que não têm eficácia comprovada contra a COVID-19, segundo pesquisas realizadas em vários países. Por isso, publicações desse tipo têm sido alvo das campanhas contra desinformação das redes sociais.

O Twitter já fez o mesmo procedimento, de aviso de informação enganosa, numa publicação do presidente Jair Bolsonaro na qual ele também defendia o uso de medicamentos sem eficácia comprovada contra a COVID-19.itter.
A administração do site justificou: “Este Tweet violou as Regras do Twitter sobre a publicação de informações enganosas e potencialmente prejudiciais relacionadas à COVID-19. No entanto, o Twitter determinou que pode ser do interesse público que esse Tweet continue acessível”.
O chamado “tratamento precoce”, defendido pelo governo federal é baseado na utilização de medicamentos como cloroquina e ivermectina, que não têm eficácia comprovada contra a COVID-19, segundo pesquisas realizadas em vários países. Por isso, publicações desse tipo têm sido alvo das campanhas contra desinformação das redes sociais. 
O Twitter já fez o mesmo procedimento, de aviso de informação enganosa, numa publicação do presidente Jair Bolsonaro na qual ele também defendia o uso de medicamentos sem eficácia comprovada contra a COVID-19.