Pra combater as fake news, movimento cobra publicamente empresas que financiam com anúncios sites de extrema direita

Com o intuito de minar a sustentação econômica de sites e canais ligados à extrema direita, o movimento Sleeping Giants, nascido há quatro anos, nos Estados Unidos, fincou bandeira em solo brasileiro no último domingo.

Após ler uma reportagem do EL PAÍS sobre o perfil no Twitter que desidratou a publicidade online dos principais influenciadores ultraconservadores norte-americanos, um estudante que desenvolve pesquisas a respeito de fake news decidiu criar uma conta em português para difundir prática semelhante no Brasil: alertar empresas de que seus anúncios aparecem em conteúdos pouco confiáveis, associados a notícias falsas e desinformação, e alimentam o financiamento de páginas extremistas.

Empresas como Dell, Zoom, History Channel já se comprometeram a retirar seus anúncios (criados automaticamente pelo Google Adsense) dos seites de extrema-direita que propagam notícias falsas.