Ciclone atinge Sul e Sudeste do Brasil

O ciclone extratropical se organizou completamente na costa do Rio Grande do Sul no decorrer da noite desta terça-feira (30). Os fortes ventos deixaram um rastro de destruição por onde passaram. 

Vídeos do fenômeno repercutiram nas redes sociais, impressionando internautas. O termo “ciclone” foi um dos assuntos mais comentados do Twitter. Imagens de trabalhadores num andaime atingido pela força do ar viralizaram.

De acordo com o Instituto Climatempo, o ciclone bomba refere-se a um fenômeno que acontece quando a pressão atmosférica — o peso da coluna de ar sobre a superfície — no seu centro cai 24 hPa em um período de 24h. Embora todo ciclone extratropical, e os ciclones de forma geral, sejam áreas de baixa pressão atmosférica, a condição que afetou o Sul do país é de alerta, diante de uma queda acentuada da pressão em curto período de tempo.

Fenômeno conhecido como ciclone bomba atingiu Santa Catarina

A empresa MetSul emitiu um alerta para o que chamou de “ciclogênese explosiva”, um fenômeno previsto para atingir o Sul e parte do Sudeste até esta quarta-feira, dia 1º. Os meteorologistas esperam chuvas intensas, tempestades e fortes rajadas de vento. Este fenômeno, também conhecido como bomba meteorológica ou ciclone bomba, é comum no inverno no Norte da Europa e no Nordeste dos Estados Unidos, onde é denominado Nor’Easter. No Atlântico Sul, costuma ser registrado na costa da Argentina ou na Antártida.

Como o ciclone bomba provoca queda de temperatura por onde passa, a previsão indica frio para esta quarta-feira na região Sul e em São Paulo, principalmente na Baixada Santista. O grau da tempestade também pode provocar queda de energia, como ocorreu nesta terça-feira em algumas localidades, que chegou a deixar mais de 1 milhão de residências sem luz. Há chances, ainda que pequenas, de haver neve nos Campos de Cima da Serra e no Planalto Sul Catarinense.