Bolsonaro descobriu a mágica da transferência de renda e se apaixonou pela medida

Por Samuel Boss

“O Bolsa Família é uma mentira, você não consegue uma pessoa no Nordeste para trabalhar na sua casa. Porque se for trabalhar, perde o Bolsa Família”.

A frase acima foi dita pelo então deputado federal, Jair Messias Bolsonaro em 2012. Antes um crítico ferrenho do programa de transferência de renda, hoje – presidente- Bolsonaro se apaixonou pela medida de governo.

O governo federal descobriu ‘sem querer’ que a transferência de renda funciona. De acordo como IBGE de 2019, na região Nordeste, metade da população sobrevive com apenas R$ 261 mensais. O auxílio emergencial é 230% a mais na renda das famílias nordestinas.

A manutenção do auxílio é estratégico para o núcleo do governo federal, principalmente após a pesquisa eleitoral que aponta um crescimento de quase 10% da preferência do eleitorado na região nordestina.

Bolsonaro já prepara extensa agenda no nordeste tentando emplacar o populismo das medidas econômicas e somar gordura eleitoral e popularidade, caso um pedido de impeachment seja aceito pela Câmara Federal.

O bolsonarismo se aproxima do lulismo ao entender que a falta de renda por parte da população em situação de miséria, não é por falta de querer ou não trabalhar, mas que não há condições alguma de trabalho em determinadas regiões.

No programa Documento Verdade, produzido REDETV no final de 2018, a vida sertaneja nordestina é abordada com exatidão. Mostrando o trabalho dos sertanejos nos campos secos, minério e trabalho braçal urbano.