Em entrevista exclusiva, Sardano fala em reforma da polícia e alteração no ECA

Sardano propõe reforma policial e mudanças no ECA

O vereador e ex-secretário de Segurança de Santo André, Edson Sardano (PTB) é pré-candidato a deputado federal pela cidade, e em entrevista exclusiva ao site Bastidor Político falou sobre sua expectativa no atual cenário eleitoral e suas propostas para a Câmara Federal.

Sardano tocou em pontos polêmicos como a reforma da polícia e revisão do ECA – Estatuto da Criança e Adolescente – veja abaixo a entrevista completa.

 Analisando o cenário acirrado entre grupos, qual é a estratégia para debater política com a população?

Creio que há a necessidade de uma virada conservadora na política brasileira e, consequentemente, nos rumos da sociedade. Com o fim da repressão decorrente do regime militar, boa parte da sociedade foi envolvida por um crença de que qualquer tipo de controle era censura, de modo que uma espécie de “pode tudo” foi tomando corpo e espaço nas universidades, nas artes e em boa parte da imprensa, de modo que hoje perdemos a referência de certo e errado e, consequentemente, de limites.
Repressão ao crime passou a ser rotulada de autoritarismo, o erotismo exacerbado veiculado em programas de televisão a qualquer hora são tidos como apropriados, tomam corpo as campanhas para a legalização da maconha e do aborto, ou seja, uma pauta contrária ao pensamento da maioria dos brasileiros, que até agora assistem a toda essa degradação calados, todavia, creio que é o momento de mudar. Quero representar esse sentimento.

Qual será sua principal bandeira para a região?

Boa parte de minha bandeira está inserida na resposta anterior, mas quero acrescentar a reforma no sistema policial brasileiro, que é o mesmo desde D. João VI, inserindo nesse novo modelo uma maior participação dos municípios. Desejo também lutar pela mudança do Código de Processo Penal, que hoje patrocina a impunidade. Desejo também rever o Estatuto da Criança e do Adolescente, aumentando o tempo das medidas socioeducativas que hoje estimulam a participação do menor em crimes violentos.

Por que escolheu a pré-candidatura a federal? Acredita que a região precisa de representantes em Brasília?

Além de como Deputado Federal poder trazer mais benefícios para a região, minha pauta é basicamente de assuntos na esfera federal. 

 Você ocupou a secretaria de Segurança em Santo André, acredita que poderá levar algum projeto para ajudar a região nessa área?

 Sem dúvida, com minha proposta de criar um sistema único de segurança pública, não como esse que foi criado agora, mas um que entregue a gestão da segurança aos municípios, incluindo as forças estaduais, a exemplo do que ocorre hoje com a saúde, o impacto local será significativo.