São Caetano é a cidade mais segura da Região Metropolitana, segundo estudo

A integração entre as Forças de Segurança (polícias Militar e Civil, e GCM – Guarda Civil Municipal) e a ampliação de trabalhos intersetoriais dão a São Caetano do Sul o posto de cidade mais segura da Região Metropolitana de São Paulo, formada por 39 municípios e mais de 21 milhões de habitantes. É o que indica estudo do Instituto Sou da Paz, divulgado nesta semana.

O levantamento coloca ainda São Caetano na terceira posição entre as 139 cidades com mais de 50 mil habitantes de todo o Estado de São Paulo. Os critérios utilizados foram registros de homicídios, estupros e roubos em geral, crimes que têm em comum a violência.

O prefeito José Auricchio Júnior ressalta o grande trabalho realizado em conjunto pelas polícias Militar e Civil, além da GCM. “Em 11 anos como prefeito, nunca vi uma cooperação tão boa entre os órgãos de segurança como agora”, analisa, atribuindo a queda dos indicadores de violência à sinergia das Forças de Segurança.

A composição dos dados teve como base estatísticas mensais apresentadas pela SSP (Secretaria da Segurança Pública) do Estado, levando em consideração o exercício de 2018. São Caetano teve 6,6 pontos no IEVC (Índice de Exposição a Crimes Violentos), indicador responsável por medir as cidades menos expostas à violência. Quanto menor o índice, mais baixa é a incidência de crimes no município. No ano passado, São Caetano não registrou caso de homicídio, além de ter queda em quase todos os índices de criminalidade analisados, dentre eles roubo em geral e furto de veículos.

“Resultados como este demonstrado pelo Instituto Sou da Paz só corroboram o trabalho que vem sendo realizado em conjunto entre a Secretaria de Segurança e as demais como a Semob (Mobilidade Urbana), a Seplag (Planejamento e Gestão), a Seais (Assistência e Inclusão Social), e a Seeduc (Educação), por exemplo. Além disso, temos de ressaltar o trabalho de inteligência interno das polícias Militar e Civil, que juntamente da GCM, conseguem contrapor a violência que, hoje em dia, é decorrente em todas as cidades do estado e do país”, complementou o secretário da Seseg, Jorge Salgado.