PSOL de São Caetano vai ás urnas para eleger seus representantes

0

Neste domingo, 01/08, o PSOL de São Caetano foi às urnas votar nas chapas estaduais, municipais e nas prévias para as futuras eleições suplementares a prefeito de São Caetano do Sul. 60% dos filiados optaram por escolher a chapa PSOL, Vivo, Revolucionário e por + Direitos para ser a maior força responsável pelo partido na cidade nos próximos anos. Essa mesma chapa tem o apoio na cidade do Mandato Mulheres por + Direitos e do ex-candidato a vereador Rogério da Fundação Viva.

Participaram da votação mais de 200  filiados, o que mostra que o trabalho de base do PSOL saiu fortalecido. Os votantes optaram por uma mudança no grupo interno majoritário que estava na direção do partido nos últimos anos.  

“O partido mostrou mais uma vez seu compromisso com a democracia interna, é um processo único na cidade, mais de 200 pessoas decidindo os rumos do PSOL. É o maior partido de esquerda de São Caetano, com mandato parlamentar e pronto para enfrentar os desafios de apresentar uma esquerda renovada e radical. O PSOL agora é uma força real e que a cada dia mais amplia suas relações com os movimentos sociais para enfrentar os coronéis locais”, disse Pedro Mendonça, membro da chapa vencedora.

Outro fato importante pra cidade é que esses mesmos filiados escolheram o nome do Rafael Ensinas para representar o partido como pré-candidato a prefeito nas futuras eleições suplementares na cidade. Rafael é um homem trans, militante da Juventude por + Direitos coordenando o núcleo LGBTQ+, membro da Comissão da Diversidade Sexual da OAB-SCS e foi em 2020 o candidato a vice-prefeito ao lado de Horacio Neto também do PSOL.

Estou muito feliz com a escolha do meu nome pelas filiadas e filiados do PSOL. É uma responsabilidade defender as bandeiras da esquerda socialista em uma pré-candidatura. Um homem jovem, trans como pré-candidato é uma movimentação de ousadia histórica na cidade. Na crise de legitimidade que passa a cidade por uma irresponsabilidade do Auricchio e um governo federal genocida, vamos construir um programa com os ativistas das cidades que combata os representantes do bolsonarismo e da elite local” diz Rafael Ensinas.