Nos bastidores Orlando articulou expulsão de Maranhão do PSDB

0

A possível saída de Rio Grande do Consórcio teria sido o stopim

A expulsão do prefeito de Rio Grande da Serra, Gabriel Maranhão do PSDB teve articulação nos bastidores do prefeito de São Bernardo do Campo, Orlando Morando (PSDB). Fontes de dentro do ninho tucano creditam a expulsão  a Morando, motivado pela posição de Maranhão dentro do Consórcio Intermunicipal do Grande ABC.

 

A justificativa dada pelo diretório estadual teria sido o apoio do prefeito de Rio Grande ao atual governador de São Paulo, Márcio França (PSB) em detrimento a João Doria (PSDB). Porém, o stopim para a expulsão teria sido uma fala do vereador de Rio Grande da Serra, Claurício Bento (DEM) em entrevista na TV Grande ABC, pedindo a renúncia de Morando no Consórcio.

Recado

O prefeito de São Bernardo do Campo entendeu que a declaração do vereador -que faz parte da base do governo- teria sido a mando de Maranhão, já que há uma articulação entre São Caetano do Sul, Mauá e Rio Grande da Serra de deixarem o Consórcio.

São Caetano do Sul

A declaração do vereador foi feita na quinta-feira (19/04), no dia seguinte, João Dória fez uma agenda em São Caetano do Sul e Orlando aproveitou a oportunidade para “peitar” o prefeito José Auricchio Jr. (PSDB), sobre o cancelamento da verba para o Consórcio aprovado pela Câmara. Auricchio teria dito “Foi ação da Câmara, vai falar com os vereadores, eu sou prefeito”.

O temperamento de Orlando Morando é conhecido nos bastidores como alguém que não gosta de ser contrariado, e o político teria articulado junto ao presidente estadual do PSDB, Pedro Tobias a expulsão de Maranhão e uma possível retaliação a Auricchio por ter filiado seu filho no PR, partido da base de Márcio França.

Hoje o DGABC trouxe o caso mostrando o desconforto do prefeito de Santo André (PSDB) sobre a expulsão. Morando estaria mais criando “cercas” do que “pontes” com seus pares da região do grande ABC.