Qualisaúde: Prefeitura de Santo André inaugura UPA Bangu

0

Inaugurada neste sábado, UPA Bangu passou por ampla modernização, dentro das diretrizes do programa Qualisaúde, beneficiando moradores do segundo subdistrito

A Prefeitura de Santo André deu início à reabertura de unidades de saúde da cidade que tiveram seus serviços interrompidos para passar por  modernização, por meio do programa Qualisaúde. Foi inaugurada neste sábado (21) a UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Bangu, beneficiando os moradores do segundo subdistrito.

Com as diversas intervenções feitas no espaço, os pacientes terão  um novo padrão de atendimento. O número de leitos passou de 20 para 33, sendo nove de UTI, e foi implantado sistema informatizado, com distribuição de senha eletrônica na recepção. Além disso, a unidade conta agora com separação dos espaços de atendimento de crianças e adultos. A UPA tem capacidade para atender até 20 mil pessoas por mês, entre pediatria e clínica médica. Haverá também atendimento odontológico.

“No final de 2016, o telhado desta unidade desabou e naquela oportunidade ela não foi reaberta. Nós herdamos esse prédio fechado, poderíamos reabrir de um dia para o outro, da forma que estava. No entanto, escolhemos fazer um plano ousado, com uma qualidade de saúde diferente. É um equipamento modelo, o padrão de excelência desta UPA é o que queremos levar para toda a cidade”, afirmou o prefeito Paulo Serra.

A Prefeitura realizou também troca das redes hidráulica, elétrica e de gases (ar comprimido e vácuo). Houve ainda a implantação de uma base descentralizada do SAMU e a reabertura da farmácia 24h, para dispensação de medicamentos aos munícipes. Além disso, os espaços foram recompostos de forma a possibilitar maior funcionalidade entre os setores e acessibilidade para pessoas com deficiência e mobilidade reduzida. A rua Avaré, onde fica a UPA, foi totalmente recapeada pelo programa Rua Nova.

As obras realizadas pela Prefeitura transformaram o antigo Pronto Atendimento em UPA.  O projeto original de reforma passou por alterações, com o objetivo de ampliar as intervenções e garantir uma modernização mais significativa do equipamento de saúde.

A obra custou R$ 5 milhões. Deste total, R$ 1,8 milhão é oriundo do Fundo Municipal de Desenvolvimento Urbano. O Ministério da Saúde repassou R$ 517 mil para a ampliação da unidade e R$ 752 mil para compra de equipamentos.