Insegurança marca retorno das aulas presenciais nas escolas particulares de São Bernardo e Santo André

0

As Prefeituras de Santo André e São Bernardo autorizaram a retomada das aulas presenciais na rede privada a partir desta quarta-feira (14), com ocupação máxima de até 35% dos alunos. Porém, ainda que esteja avalizado esse retorno, muitos pais seguem inseguros em deixar seus filhos nas unidades escolares e comentam que os cuidados estão redobrados.

Em São Bernardo, na escola Viva Vida, na Nova Petrópolis, a recepção dos alunos foi a partir das 7h. Segundo informações publicadas no site da escola, os protocolos internos, bem como os horários de entrada e saída dos alunos devem respeitar as regras de higiene, como respeitar o horário de entrada e portar mais de uma máscara de proteção para troca no decorrer do dia. No local, funcionários fazem a medição de temperatura e oferecem o álcool gel aos estudantes. 

No caso da gerente comercial, Andrinéia Rigolim, 38 anos, que precisa trabalhar, apesar da insegurança, comenta que a melhor opção é deixar seu filho, Igor, 5, na escola pela praticidade. “No meu caso, não teve jeito. Eu repasso os cuidados em casa, deixo ele aqui cedo e já vou trabalhar”, comenta. 

A auxiliar de classe, Patrícia Viana, 28, também aderiu o retorno das aulas para sua filha, Bárbara, 5. Viana observa que os protocolos adotados também pela escola fazem a diferença. “Hoje é comum ver alunos falando para o amigo passar o álcool na mão ou usar a máscara de forma correta. Sabemos que ainda existe muito medo, mas muitos pais precisam trabalhar e a escola auxilia nesse processo”, avalia. 

A escola programa um retorno gradativo, ou seja, nesta semana, alunos do infantil até o 3º ano do Ensino Fundamental já podem voltar. Na próxima semana, é a vez dos estudantes até o 5º ano e na semana do dia 26, o Ensino fundamental II (6º ao 9º ano) e Ensino Médio. Segundo os pais, a escola já acompanhava a situação de cada família e qual seria a proporção desse retorno. De acordo com eles, a adesão ainda é baixa.

Com o cenário muito parecido, em Santo André, no Centro Educacional Infantil Rhema, na Vila América, a adesão ao retorno pelas aulas presenciais não foi além do esperado. Diante disso, pais acreditam ainda que se existe a possibilidade da criança ficar em casa acompanhada, muitos responsáveis não vão enviar para as escolas. 

A veterinária Gabriela de Moraes, 42, além de precisar trabalhar, observa que o filho Lorenzo, 6, já queria voltar para a escola, mas esse retorno ficará em análise por conta dos casos da Covid-19. “Ele não estava aguentando mais, mas todos os dias conversamos sobre os cuidados, tanto que, no almoço, busco ele, ele toma banho em casa e o deixo na minha mãe”, conta. 

A Prefeitura de Santo André, conforme o último decreto do prefeito Paulo Serra (PSDB), publicado no dia 10 de abril, as aulas presenciais nas redes municipal e estadual estão suspensas até 30 de abril. Neste momento ainda não é possível saber a data exata de quando as aulas presenciais na rede pública serão retomadas, mas seguem com o ensino remoto. Assim como, em São Bernardo, que as aulas presencias na rede pública também permanecem suspensas. 

Já Ribeirão Pires afirmou que seguirá a determinação do decreto municipal 7.133, publicado no dia 26 de março, que prevê que as escolas estaduais e particulares retomem as aulas de forma presencial a partir de 21 de abril, enquanto a rede municipal retorna apenas em 30 de maio. A previsão anterior ao decreto era 5 de abril para todas as redes de ensino. O documento ressalta que a nova previsão de retomada das aulas presenciais, seguindo todos os protocolos sanitários estabelecidos, está condicionada ao cenário da pandemia no município.

Rio Grande da Serra e São Caetano informaram que a retomada das aulas de forma presencial não tem previsão de retorno.

FONTE: Diário do Grande ABC