Em Santo André o povo escolheu o novo, mas Paulo Serra se mostra velho

Beto Peralta, Ronan Maria Pinto e o fisiologismo da troca de cargos por apoio político são algumas das demonstrações que em Santo André o governo é novo, mas o sistema continua o velho.

O prefeito Paulo Serra parece ter lido a cartilha da velha política brasileira: “quando houver um problema, desvie o foco”. E assim, a cidade Santo André tem vivido no começo dessa gestão. Problema de falta d’água, iluminação pública, saúde batendo na cara do povo, mas o governo marqueteiro desvia o foco com uma exposição populista de um carro preto no calçadão da Oliveira Lima e no Paço Municipal. “Não vamos usar carros oficiais”…

Os problemas serão da cidade serão solucionados por conta disso?
A prefeitura economizará alguns milhares de reais anualmente, mas continuará injetando milhares de reais mensalmente no jornal DGABC com o contrato das publicações legais. Isso parece trivial, mas não é.

Até alguns meses atrás o proprietário do jornal, o empresário do setor de transportes, Ronan Maria Pinto, estava preso em Curitiba, alvo da Operação Lava Jato ( operação tão citada pelo Paulinho para criticar os petistas), que de acordo com as investigações, o empresário recebeu R$ 6 milhões do esquema de corrupção na Petrobras e utilizou o dinheiro para comprar o DGABC.

Ronan Pagou fiança, mas ainda  carrega uma  tornozeleira eletrônica.

Por que o prefeito não moraliza o governo e acaba de vez com a ligação do Paço com o jornal? Por que Paulo Serra não quis revogar o aumento da tarifa do transporte? O empresário deve milhões a prefeitura, mas será que o prefeito vai ter peito de cobrar?

Não. Pois durante três anos, Paulo Serra atuou como secretário de Obras e Transportes do governo petista e firmou boa convivência com os empresários do setor, aliás teve empresário de transporte que doou  legalmente para sua campanha.

A presença do staff petista nos cargos de comissão demonstra que o fisiologismo ainda está em alta. Não veremos o PT fazer uma oposição ferrenha neste primeiro biênio, pois este é o acordo. Tanto que o partido conseguiu lugar de destaque na mesa da Câmara  e nas comissões da mesma.

As torneiras continuam jorrando velhas práticas, mas na casa do cidadão a água não chega.

Paulo Serra pode ainda se tornar realmente um gestor novo, basta querer e peitar o velho sistema. Eu ainda acredito nas boas intenções dos homens, e boto fé que Paulo Serra poderá ser um bom prefeito, mas precisará romper com as velhas práticas, pois, será bom para cidade e bom para a região.

PS.: Que não é sigla de Paulo Serra, mas pós escrito… Não há financiador deste jornalista para tal crítica, parem de medirem os profissionais com a mesma régua que usam em si mesmos. Eu sou livre!

Samuel Boss