Em entrevista Sardano fala sobre candidatura, volta à Câmara e secretaria de Segurança

3
Ele foi o segundo vereador mais votado da cidade de Santo André com 6,132 votos. Coronel da Polícia Militar, Edson Sardano (PTB) aceitou o convite do prefeito, Paulo Serra (PSDB), para chefiar a secretaria de Segurança da cidade.
Em entrevista exclusiva ao nosso portal, Sardano revela como tem sido o trabalho na pasta, e sobre seu desejo de sair candidato em 2018. Caso sua candidatura se confirme, o petebista terá que voltar para a Câmara por um período mínimo de seis meses antes do início do pleito.
BP-  Como está sendo encarar o desafio de chefiar novamente a pasta de Segurança de Santo André? 
ES- Como a própria pergunta já adianta, está sendo desafiante. Hoje sou mais experiente (e velho também) e mais seguro, o que ajuda muito. Também há o fato de o Prefeito dar muito apoio e envolver- se pessoalmente nas ações de segurança.
 BP- Quais foram as principais ações deste primeiro semestre? 
 ES- Tendo como espinha dorsal a Guardas Civil Municipal, lançamos a Operação “sono tranquilo” que solucionou um problema crônico de excesso de barulho na região da Rua das Figueiras e na Vila Gilda, devolvendo a tranquilidade aos moradores sem prejudicar os comerciantes e os munícipes que frequentam os bares e restaurantes. O objetivo não é estabelecer um silencio sepulcral, mas restabelecer a ordem e a disciplina mínimas, para permitir uma convivência harmônica entre moradores, comerciantes e frequentadores. 
    Ampliamos a operação “sono tranquilo” para a periferia e, com apoio da CRAISA, SEMASA , Secretaria de Desenvolvimento Urbano, Polícia Militar e Civil, temos eliminado focos de desordem em vários pontos da cidade.
  Criamos o Comitê Integrado de Segurança aproximando as polícias estaduais da administração municipal, planejando ações e realizando operações de largo espectro, com o Prefeito à frente, buscando diminuir os índices criminais, seja com a presença ostensiva da polícia, como por meio de ações de postura municipal.

     Lançamos a “Operação Delegada Municipal” , que utiliza as horas de folga dos Guardas Municipais, de modo voluntário, porém remunerado, permitindo um acréscimo da presença da Guarda em operações de prevenção à violência.

   Estamos em fase final da elaboração do Estatuto da Guarda Civil Municipal, que contemplará um plano de carreira compatível com a importância da Instituição e com o seu papel na cidade.

 BP- O que você enxerga como principal problema e a principal virtude da secretaria de Segurança? 

ES-  Creio que um dos nossos grandes problemas é que a cobrança de uma maior participação da prefeitura na área de segurança é cada vez maior, porém a realidade das leis brasileiras, tanto no aspecto processual penal, como no tributário ainda não reconhecem essa carga que está sendo depositada sobre os ombros dos prefeitos, de modo que temos a demanda e não temos os meios suficientes para atende-la.

     A principal virtude é a obstinação do Prefeito Paulo Serra de, apesar de não ter recebido nenhum recurso a mais, ao contrário, ter que administrar uma dívida enorme, decidiu encarar o tema de frente e está pessoalmente envolvido e colocando a energia possível, apesar de todas as dificuldades.

BP- Há alguma pretensão para  as eleições do ano que vem? Seria candidato? 
ES- Quanto à candidatura, eu só posso dizer que sou político, logo, penso sim em candidatura, mas de forma secundária. Meu primeiro objetivo é colaborar com o Prefeito Paulo Serra a fazer um grande governo, contribuindo onde for melhor para a cidade. Se isso passar por candidatura e o grupo entender que este é o caminho, tudo bem, mas nunca alguma iniciativa isolada. Meus interesses pessoais estão, com muita tranquilidade, subordinados ao bem da cidade e ao projeto de gestão do grupo do Prefeito Paulo Serra.

   

Comments are closed.