Taxa do Lixo: Vereadores não aguentam o tranco, e querem revogar a lei que eles mesmo aprovaram

Foto: RP de fato
Foto: RP de fato

Assim como em Santo André no caso do IPTU, quando os vereadores aprovaram o aumento do imposto na cidade, e depois propuseram a revogação daquilo que eles mesmos aprovaram, também em Rio Grande da Serra os vereadores não aguentaram o tranco. 

Os vereadores que aprovaram a mudança de cobrança da Taxa do Lixo e alteração nas alíquotas na cidade, “arregaram” diante da pressão popular e estão pedindo revogação da lei,e jogando a bomba no colo do prefeito Gabriel Maranhão e se eximindo da culpa.

Ontem (13), um grupo de vereadores composto por :  

Akira Auriani (PSB) e Claurício Bento (DEM),Jhol Jhol (PSD), Bibinho (PSDB), Agnaldo (PSDB), Zezinho (PSB), João Mineiro (PSDB), anunciaram que depois de analisarem  o projeto (que eles mesmo analisaram e aprovaram) e a forma como a Taxa foi cobrada, que irão pedir a revogação da lei.

Essa mesma atitude de tirar o corpo fora foi feito pelos parlamentares de Santo André na época do aumento do IPTU. A imprensa alertou o aumento, eles insistiram na aprovação, e depois de serem xingados na rua pelos munícipes, colocaram a culpa no prefeito, fizeram uma comissão a parte e se tentaram tirar o “corpo fora”.

Obviamente tomaram a frente nas falas os vereadores com intenção de se candidatar ao executivo, Akira e Claurício. Ambos não querem carregar esse desgaste para uma possível Campanha.

Histórico da Taxa

No fim do ano passado, a Câmara de Rio Grande aprovou, por 12 votos a um, alterações no tributo. Antes, a taxa era cobrada junto com o IPTU (Imposto Predial e Territorial Urbano). Agora, está vinculada à conta de água. Além disso, a Casa autorizou a administração de Gabriel Maranhão (sem partido) a atualizar o cálculo do imposto: o valor é baseado no tipo do imóvel (residencial, comercial ou empresa), número de vezes que o caminhão da coleta passa pela rua e metragem de área construída. Esse último índice é o mais contestado por moradores locais