Hospital Municipal de Ribeirão Pires tem futuro incerto

0

O custeio do equipamento municipal será o grande desafio da atual gestão

Apesar do prefeito de Ribeirão Pires, Kiko Teixeira (PSB), ter anunciado na semana passada a liberação de recurso para o término da obra do Hospital Municipal Santa Luzia, o seu futuro ainda segue indefinido. Com a possível conclusão da obra, o custeio do equipamento municipal será o grande desafio da atual gestão.

O governador de São Paulo, Marcio França (PSB), se comprometeu de enviar a verba para conclusão da obra, mas nem ao menos divulgou o valor que seria destinado ao Hospital. A prefeitura de Ribeirão Pires também não cravou qual seria o valor  exato para conclusão do equipamento de Saúde, questionada sobre a conclusão da obra, respondeu:

“A Prefeitura de Ribeirão Pires esclarece que a conclusão das obras do Hospital Santa Luzia está prevista para 12 meses após a publicação da ordem de início, observando-se, especialmente, o cumprimento do cronograma financeiro do projeto”, explicou.

Levando em conta o tempo de mandato atual governador (final de dezembro), e o tempo necessário para o possível início da obra, o Hospital Municipal seria entregue no último ano de governo do prefeito, Kiko Teixeira.

O custeio do hospital é o grande problema, com uma folha inchada, a prefeitura teria dificuldade em abrir concurso e com o custeio mensal do equipamento. Questionamos a prefeitura sobre o planejamento de custeio, e por meio da Secretaria de Comunicação, a gestão tergiversou.

“A Prefeitura trabalha em projetos para viabilizar o custeio da unidade de atendimento a partir, por exemplo, da inserção do Hospital em rede de retaguarda para urgência e emergência”