Diocese de Santo André lança Nota sobre a morte do Padre José Raschele

Nota:

Pe. José Raschele é o padre mais velho da Diocese de Santo André, com 96 anos completados em dezembro de 2019. Nasceu aos 05 de dezembro de 1923 em Mori, uma pequena comunidade na província de Trento, norte da Itália. Filho de Johann (Giovanni) Raschele, um marinheiro do exército da Áustria e de Dalia Bisoff, que foi cozinheira do imperador Francisco José da Áustria.

Veio como missionário da Congregação dos padres Saletinos para a América Latina em 1958, sendo a Argentina o primeiro país a acolhê-lo.
Da Argentina veio para o Brasil, onde esteve de 1959 a 1964, na Paróquia de Sant’Ana, na Zona Norte de São Paulo, pastoreada naquele tempo pelo cardeal Dom Carlos Carmelo de Vasconcelos Motta. De São Paulo, foi transferido para a Alemanha, em Stuttgard, onde era pároco de comunidades estrangeiras: portugueses, espanhóis e italianos, função esta que exerceu entre 1964 e 1965.
Em nossa Diocese, veio a convite do Pe. Erwin Kauffmann, suíço, para passar uns dias na Paróquia São Sebastião, em Rio Grande da Serra. Tornou-se diocesano em 7 de janeiro de 1965,com as palavras de Dom Jorge Marcos de Oliveira: “Eu, subscrito, bispo da Diocese de Santo André no Brasil, em virtude da presente, para o seu conhecimento, pelas normas do direito canônico, cânone 641 parágrafo 2, pura e simplesmente, admito à incardinação, de todo o coração, na nossa Diocese, o reverendo senhor José Raschele, missionário da Congregação de Nossa Senhora da Salete”. Em 9 de fevereiro de 1968, Dom Jorge nomeia o Pe. José Raschele Vigário Ecônomo da Paróquia Sant’Ana, em Ribeirão Pires, função que exerceu até 2011, doando seus dias ao povo de Deus desta paróquia por 43 anos.

Em Ribeirão Pires, padre Raschele manteve ou construiu diversas igrejas: Sant’Ana, São Francisco de Assis, Santa Rita, Sagrado Coração de Jesus, Santa Luzia, Nossa Senhora Aparecida da IV Divisão.

Com 64 anos de sacerdócio celebrados em 22 de julho de 2020,Pe. José Raschele voltou para a casa do Pai neste 31 de julho de 2020.

A Diocese de Santo André expressa sua profunda gratidão por este corajoso homem de fé e servo fiel da Igreja de Cristo.

Na esperança que nos vem da Ressurreição do Senhor, nossa Diocese, nosso clero e nosso povo se unem em oração pelos familiares e amigos.