Assédio moral na secretaria de Comunicação não é uma criação deste governo

Por Samuel Boss

A imprensa local da cidade de Ribeirão Pires, tenta desgastar o governo do novo prefeito Kiko Teixeira (PSB), através de uma matéria-denuncia que acusa o atual secretário de Comunicação, João Mancuso de praticar o crime de assédio moral dentro da secretaria. Além dessa acusação, os jornalistas apontam que o secretário praticou sexo dentro do gabinete com uma moça de 18 anos.

O fato é que um dos autores da denuncia, o jornalista Thiago Quirino, também já ocupou a cadeira de secretário de Comunicação da gestão anterior. E sua conduta dentro da pasta sempre foi questionada e criticada.

Fontes que não querem se identificar, relatam que na época em que Quirino comandou a comunicação de Ribeirão Pires, o assédio moral era corriqueiro, que até mesmo em época eleitoral, o jornalista pedia abertamente em reunião de pauta para que os funcionários da secretaria criassem perfis falsos no facebook- famosos fakes- para combater e atacar os adversários políticos na rede social. O que seria enquadrado na prática de  crime virtual.

Além do pedido de criação de fakes, fontes revelaram que Quirino produzia peças políticas de ataques aos adversários com a estrutura da  própria secretaria.

O fato é que com a polêmica envolvendo o novo secretário, que foi apontado por Quirino como sendo responsável por assediar moralmente funcionários dentro da SECOM, cria-se um clima incoerente entre a escrita e a prática de quando o  mesmo chefiava o local.

Sou a favor de que se abra uma sindicância, com a ajuda do sindicato dos jornalistas, para apurar tais casos de assédio moral na Comunicação nos últimos 4 anos e punir os responsáveis. E se por acaso, for encontrado algum crime, que estes respondam na justiça.

Do mais, os escritos são apenas incoerência de quem passa para o outro lado do balcão.