Após suspensão do início da frente de trabalho em RP, trabalhadores que assinaram contrato se indignam

O programa Auxílio Desemprego – conhecido como Frente de Trabalho- foi amplamente divulgado pela comunicação da prefeitura de Ribeirão Pires, no entanto, um impasse jurídico suspendeu o início das atividades, e trabalhadores se indignaram.

Uniformes que foram confeccionados com dinheiro público para o Programa

Conforma noticiou o jornalista Luís Carlos Nunes do Repórter ABC, o ofício nº 03/2020 datado de 13 de janeiro de 2020, a prefeitura de Ribeirão Pires  informa que fica suspenso o início das atividades do Programa Auxílio Desemprego (Frente de Trabalho). Segundo o secretário de Administração, Adriano Dias de Campos, “a suspensão dos início se dá em função de dúvida levantada em função de 2020 ser ano eleitoral e que deve-se aguardar um parecer jurídico para que se tenha um posição em definitivo”.

Nosso blog apurou que cerca de 50 trabalhadores já haviam assinado o contrato, e que os uniformes para equipe já estavam disponíveis.

” É uma falta de respeito com quem está desempregado. Nós queremos justiça! o que a Prefeitura fez é desumano!”, protestou uma trabalhadora que não quis se identificar.

“Que auxílio é esse que nos humilha? A gente vem para trabalhar e nos retiram e nossa esperança?”, disse outro trabalhador que pediu sigilo.

De acordo com fontes ouvidas, a TV Globo e A TV Record se interessaram pelo caso e podem cobrir o imbróglio nos próximos dias.