spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img
spot_imgspot_imgspot_imgspot_img

top 5 da semana

spot_img

posts relacionados

A defesa de Volpi não mudou, alguns vereadores que votaram “diferente”

O DGABC abordou ontem (3) os motivo que levaram alguns vereadores a mudarem seu voto em relação as Contas de 2012 do ex-prefeito Clovis Volpi (sem partido). De acordo com a matéria o vereador do PPS, José Nelson da Paixão mudou seu voto, após um encontro numa padaria e Volpi explicou sobre o fato conhecido de não ter havido dolo ou má fé.

O vereador Amaury Dias (PV) justificou  “não tive acesso à defesa, votamos na hora, com elementos que estavam à nossa disposição”. O que é uma blá blá blá sem tamanho. Em 2015 estive em várias oportunidade com  Volpi na presença de Amaury e o ex-prefeito contava todo o roteiro de sua defesa à todos. Inclusive, fez uma série de palestras no restaurante Canoa Quebrada, na qual esse tema era falado com total transparência.

“Não tinha ciência que o Clovis tinha contratado os médicos naquele período proibido por lei com autorização da justiça através de uma liminar concedida pela terceira vara, por exemplo entre outros fatores. Só não sei responder pelos demais vereadores”, explicou Amaury.

Amaury sabia. Não foram uma ou duas vezes que vi Amaury e Volpi juntos, foram diversas vezes, as paredes do Frans Café que nos ouçam. A questão é que Amaury e os demais vereadores mudaram o voto por uma questão política de momento, até por que, em 2017, Amaury estava super conectado com a administração de Kiko. E naquela oportunidade, Amaury disse: “votei com a razão”. E agora foi com o coração?

Clovis Volpi não precisaria ter passado por essa humilhação política, o parecer do Tribunal de Contas consta que não houve “sem dolo ou má fé”, no entanto, o que está em risco é 2020, e os vereadores que foram deixados de lado pela administração Kiko que precisam se apegar em alguém com nome e credibilidade paras as próximas eleições.

Nem a defesa, nem Volpi mudaram, o que mudou foi o ambiente político. As conversas nas padarias e restaurantes foi de igual modo feita em 2017 com todos eles. A explicação dada pelo ex-prefeito, também foi feita para todos, porém, para ser diferente, é preciso fazer diferente. Então se muda o voto e apresenta uma justificativa diferente para ver se cola para o povo.

 

Samuel Boss
Samuel Boss
Iniciou sua carreira na criação do Blog do Vereador que se transformou no jornal de sátira política, Quarta Ordinária. Escreveu para os jornais Estação Notícia, Repórter Diário e Opinião Pública. Foi editor do Jornal A Voz de Ribeirão Pires e criador da TV São Caetano. Teve programas na TV+, EcoTV, TVABCD, Repórter Diário e Rádio ABC.

Popular Articles