Prefeitura quebra ordem cronológica para pagar empresas envolvidas na operação Trato Feito

A gestão Alaíde Damo (MDB), através da Secretaria de Finanças publicou no Diário Oficial do município dezenas de quebra de ordem cronológica para pagamento de empresas, e dentre essas, está duas empresas investigadas pela Operação Trato Feito: Davi Caminhões e Geométrica Engenharia.

Em dezembro a Justiça proferiu decisão em que impede nove empresas de fazer contratos com a Prefeitura de Mauá e demais órgãos públicos da cidade até que as investigações da Operação Prato Feito sejam concluídas pela PF (Polícia Federal). Dentre as nove empresas está a Davi Caminhões e a Geométrica Engenharia.

De acordo com a publicação, a empresa Davi Alves de Oliveira ME recebeu no último  dia  13  cerca de R$ 978 mil pelo serviço  de locação de caminhões. O pagamento é referente a serviços prestados em fevereiro de 2018.

Já a Geométrica Engenharia recebeu de forma inusitada  cerca de R$ 700 mil no último dia 15 referente a uma nota que vencia no próprio dia 15 de Maio. O que chama atenção é a pontualidade no pagamento que geralmente não ocorre no poder público que tem em média 4 a 5 meses de atrasos nos pagamentos.

Nosso site está aberto para esclarecimentos da Prefeitura de Mauá.