Mauá amplia programas de recuperação de usuários de droga e álcool

 

 

A Prefeitura de Mauá está ampliando o trabalho feito com usuários de drogas e álcool para melhorar a readaptação dos pacientes e a reintegração desses munícipes em sociedade.  Para melhor atender a esses moradores, o prefeito de Mauá, Atila Jacomussi pediu ações integradas entre as secretarias de Promoção Social, Esporte, Cultura e Juventude para trabalhar não só o tratamento de usuários, mas também na prevenção do uso de drogas.

 

Atualmente, o Caps (Centro de Atenção Psicossocial) Álcool e outras Drogas possui 1.564 usuários em tratamento, com acolhimento diário de 70 a 80 usuários. Segundo Elaine Polisel, coordenadora do programa, houve um aumento na procura por tratamento após as ações da Cracolândia, em SP. O crescimento na busca de tratamento por usuários do crack foi de 10% em relação ao ano passado.

 

O primeiro atendimento aos usuários é feito pelo ambulatório móvel, que atende das 7h às 22h e que faz o trabalho de aproximação com profissionais de assistência social e enfermagem. “É importante frisar que não podemos colocar ninguém em tratamento sem o consentimento, mas nossos profissionais fazem abordagens contínuas para ganhar a confiança desses moradores, até que conseguem trazê-los para participar dos nossos tratamentos. No meio tempo, eles passam por exames para conifmrar como estão de saúde”, diz Elaine.

 

Todos os dias os dependentes em recuperação participam de atividades no CAPS, com aulas de arte, música, dança e atendimento psicológico em grupo. Há opção de internação para os pacientes que querem deixar as drogas fazerem a desintoxicação. O acompanhamento é feito diretamente pelo CAPS drogas e álcool, mas também há pacientes que participam diariamente das atividades e voltam para casa no fim do dia. Os cursos e atividades auxiliam na socialização dos pacientes.

 

Entre as atividades para apoio o retorno à sociedade, na última sexta-feira (21/7), os pacientes participaram de uma Festa Julina, que contou também com funcionários do CAPS, além de comidas típicas, quadrilhas e atividades.