Em nota, defesa de Atila afirma ter ‘convicção’ que prefeito voltará ao cargo

Em nota divulgada na noite da última sexta-feira nas redes sociais do prefeito de Mauá, Atila Jacomussi (PSB), o advogado responsável pela defesa do político lamenta a operação da Polícia Federal, justifica que não há nenhum fato novo e afirma ter convicção que o prefeito será reconduzido ao Paço. 

Nota Oficial

Por meio do advogado de defesa, Dr. Daniel Leon Bialski, o prefeito Atila Jacomussi vem a público se manifestar sobre a operação da Polícia Federal, nesta quinta-feira (13/12), lamentando o que considera uma abordagem arbitrária, sem provas concretas que o liguem a quaisquer tipos de fatos ilícitos.

Os procedimentos adotados pelos agentes federais nada mais são do que deliberações requentadas do processo anterior. Vale frisar que, na ocasião, o STF (Supremo Tribunal Federal) entendeu como excessivas as medidas adotadas contra Atila e, portanto, o permitiu que retornasse ao cargo de prefeito, eleito democraticamente pelo povo de Mauá.

Aliás, a defesa estranha o pedido do MPF (Ministério Público Federal) em contestar a competência jurisdicional da Justiça Federal para examinar a causa.

Atila também mostra consternação com os efeitos nocivos dessa operação para Mauá, que conta com governo voltado às necessidades do povo da cidade. Programas e projetos como o Pavimenta Mauá, a inauguração da UPA (Unidade de Pronto Atendimento) Barão de Mauá, a Fábrica de Artes, as retomadas do Expresso Mauá e do Café do Trabalhador, Escola Municipal Alice Tulio Jacomussi, entre tantas realizações, foram conquistadas recentes para cidade, além do retorno de outros serviços públicos.

Mesmo assim, Atila está confiante que provará a sua inocência novamente, como da última vez na Suprema Corte. Afinal, não há nenhuma ligação do atual governo com empresas de merenda escolar citadas pelas investigações da Polícia Federal e tampouco irregularidades na compra de kit de uniformes escolares para os anos letivos de 2017 e 2018.

Portanto, a defesa, assim como o prefeito, tem convicção de que provará mais uma vez a inocência de Atila e que será reconduzido ao cargo de prefeito, assim obedecendo a vontade expressa pelo povo em 2016.