Artigo: “Acesso negado…”

Por Regiane Nunes

Por que falar, viver e propagar ACESSIBILIDADE?
Pode parecer um discurso repetitivo e até chato pra quem não entende o quanto essa tal “ACESSIBILIDADE” está relacionada a vida de qualquer pessoa, seja ela deficiente ou não…


Sabe aquela mensagem, “ACESSO NEGADO”? Eu tenho certeza que ninguém gosta de ouvir ou receber essa mensagem, seja no ambiente virtual ou físico. Pois é, então partindo desse preceito, todo mundo já desejou ter acesso a algum lugar, serviço ou informação e foi impedido por qualquer que seja o motivo.


Nos últimos dias propaguei a necessidade da acessibilidade comunicacional e digital em conversas com autoridades, nas entrevistas que forneci e nas minhas redes sociais. É muito simples, em linhas gerais, trata-se da inexistência de barreiras na comunicação interpessoal, escrita e virtual. Comecei falando da #pracego ver, por se tratar de uma medida simples, que NÃO TEM CUSTO ALGUM, e além da funcionalidade em permitir o acesso de pessoas com deficiência visual a informações, por meio da descrição de imagens, ao meu ver tem um caráter educativo e expansivo sobre inclusão.


Cada vez que uma pessoa com ou sem deficiência se depara ou usa a #pracegover, ela entende ou propaga a ideia de que as pessoas com deficiência ocupam todos os espaços, consomem ou oferecem produtos e serviços.


Não, não custa nada, é isso mesmo! É só uma questão de empatia, respeito e interesse…


Hoje me deparei com a mudança de atitude nas postagens da Prefeitura Municipal de Ribeirão Pires, nos perfis oficiais, algo que me alegrou profundamente, pela mudança de atitude e por ter tido uma solicitação pessoal atendida. Mas já adianto, esse foi apenas o primeiro passo, tenho muitas ideias e demandas simples e funcionais, coisas que podem contribuir para vida de todos, afinal de contas uma cidade onde uma pessoa com deficiência possa viver de forma digna, é uma cidade boa para toda a população. Ter acesso ao lazer, a cultura, educação saúde, transporte, segurança, esporte, e a todos os serviços da cidade é um progresso coletivo.


A Secretaria de Participação Social e Inclusão tem muito trabalho a ser realizado, e não precisa justificar com falta de verba ou recursos, a utilização da #pracegover, não custa nada e só passou a ser usada agora. Temos demandas como essa de sobra, como a implantação das placas verticais em vagas exclusivas #ficaadica. Da pra resolver ou teremos que fazer uma nova mobilização?